Translate

domingo, 4 de março de 2018

Ao lado

Minha tristeza mora ao lado
e tem se esvaído em lembrança
memória menina ainda criança
desejo de vida sendo anulado.
Minha dor chora ao lado
lágrimas, medo, desesperança
nada deixando de herança
exceto frágil discipulado.
Minha força morre ao lado
matando também minha aliança
com a alegria, o riso e a dança
feitos reféns no tempo passado.
Minha rainha luta ao lado
assustada empunha sua lança
receio da eterna mudança
o amor sendo pra sempre exilado.

quinta-feira, 1 de março de 2018

Diacronia

Vejo o tempo num todo
do centro ao fim
Vejo o fim em tudo
do tempo ao sim
Do triste ao eterno
de dentro ao externo
da estrela ao rim...
Perfeita sincronia
Vivo em diacronia
Harmonia
agonia
alecrim.
Profusas ideias
reclusas plateias
eu dentro de mim...

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Plural

Verifico listas em busca de alguém
um nome que chegue e não seja banal
transcenda em aromas e leve aquém
um mundo perfeito que seja plural.

Que saiba chegar e também sair
Que seja meu riso e faça um sinal
Reconheça em mim um espaço que caiba
seu sonho, música, travesseiro e jornal.

Desejo que seja um pouco comum
e que tenha um humor sensacional
que seja você ou bem parecido
e me jure amor incondicional.

Que traga paz
acenda a luz
que não me invada
Seja original.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Confesso

Perdoa-me por ter te esquecido
por negar flertes que ardiam
e nesta ardência divergir signos
e no significado me perder.
Por ti verti prazeres
e por ver-te senti quereres
coisas que faço tão minhas
pretéritos que busco em mim.
E nos idos bons das lembranças
o que de mim não é próprio derramo
viajo em teu profundo silêncio
e, planando, velo teu riso.
Fostes antes meu tudo
hoje branca folha como carta
nunca escrita ou enviada.
Fotografias não reveladas...
Frios invernos resumidos
em solo que exploro e não acho nada
exceto amores e dores
que nunca confesso.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Sempre haverá

Sempre haverá um grito ecoando na noite
sempre haverá uma lágrima sobre um travesseiro
sempre haverá uma música que nunca cessa
sempre haverá sonhos...
Sempre haverá caminhos desencontrados
sempre haverá vontades reprimidas
sempre haverá despedidas infindáveis
sempre haverá saudades...
Sempre haverá procuras vazias
sempre haverá portas trancadas
sempre haverá uma estrada a percorrer
sempre haverá um fim.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Tristeza

Além do visível que compartilhamos
há mundos perdidos de muita incerteza
Profundos sistemas habitam minh'alma
procuro em vão abraços de defesa.
Terrenos espaços sem água ou sal
abunda vazios e grande rudeza
garganta se fecha em grito de dor
enche e transborda toda minha frieza.
Do sol que vivi e dos risos que dei
só guardo vislumbres dessa natureza
em torres bem altas trancada estou
vivendo e morrendo de uma fraqueza.
Dias gris sucedem-se uns aos outros
tom perfeito que orna a indelicadeza
desta visita que chegou sem avisar
apenas dizendo ser minha tristeza.




terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Ausência

E me veio a falta de um abraço
de um laço...
Até de me sentir sem espaço!
Disfarço...
Vazios viajam em minhas veias...
Desembaraço cabelos e ideias
Enfim, me ajeito, enfeito
escondo o imperfeito.
Quero me sentir normal
ainda que artificial
Aquecer o coração glacial.
Moldar a estrutura
enterrar a amargura
retirar a armadura
sair dessa clausura...
Jura?
Recuperar algo perdido
reencontrar minha libido
um sentimento amortecido
onde enterrei você.